Exposições Temporárias

Concurso Público de Arquitetura: Museu Nacional da Resistência e da Liberdade

(21/06/2018-16/09/2018)

cartaz_a4

 

 


 

MAP_Agricultura Lusitana.Craft+Design+Identidade_Cartaz.jpg

De 23 de março a 30 de dezembro de 2018

A exposição Agricultura Lusitana transporta-nos para o território das Aldeias do Xisto, apontando caminhos para o desenvolvimento rural a partir das relações Craft+Design+Identidade e do seu olhar sobre as culturas e as produções artesanais locais das suas aldeias.

Fruto do trabalho de designers, artesãos e escolas superior de design de todo o País, as instalações e os novos objetos desenvolvidos no âmbito deste projeto evidenciam as distintas inspirações e interpretações dos respetivos criadores, expressas quer na reelaboração sobre formas, matérias ou técnicas tradicionais, quer na pura convocação de símbolos da ruralidade ou da sua transformação.

Tratando-se de novos objetos que de algum modo evocam práticas antigas, estas criações interpelam-nos também sobre alguns dos desafios que se colocam às comunidades das Aldeias do Xisto, convidando-nos a pensar, muito em particular, sobre as condições e as efetivas capacidades de adaptação das produções artesanais endógenas às atuais exigências dos mercados.

Sendo apresentada no Museu de Arte Popular no âmbito do Ano Europeu do Património Cultural, a exposição Agricultura Lusitana deve ser entendida, enfim, numa perspetiva mais ampla, como resultado de uma estratégia de valorização do património rural, no qual salvaguarda e inovação assumem idêntico protagonismo.

 


 

Entre 24 de novembro de 2017 e 16 de setembro de 2018 o Museu de Arte Popular acolhe a primeira grande exposição dedicada a M. C. Escher realizada em Portugal.

Reunindo 200 obras deste artista gráfico de renome mundial, a exposição oferece igualmente ao público a possibilidade de enriquecer sensorialmente o seu contacto direto com a obra de Escher através de um grande conjunto de equipamentos didáticos, experiências científicas e muitas outras surpresas.

Organizada pela Arthemisia, e com curadoria de Mark Valdhuisen, Diretor-Geral da M. C. Escher Company, e Federico Giudiceandrea, especialista na obra de Escher, a exposição dá conhecer os vários períodos que caracterizam a produção do artista, marcada por verdadeiras obras-primas como “Mão com Esfera mão com esfera reflexiva”, “Relatividade” (ou Casa das Escalas) e “Belvedere”.

A apresentação da exposição no Museu de Arte Popular resulta de colaboração estabelecida com a Arthemisia, empresa que desenvolve a sua atividade de organização e apresentação de exposições de arte a nível internacional.

No âmbito da exposição, a Arthemisia assegura igualmente a realização de um variado conjunto de atividades especialmente concebidas para adultos e os diversos públicos infantis e juvenis, designadamente visitas guiadas e laboratórios.

Para informações sobre horários de visita, bilheteira e reservas de grupos e escolas consulte o sítio http://www.escherlisboa.com/ .

Maurits Cornelis Escher, um dos artistas do século XX de maior renome a nível mundial, produziu ao longo da sua vida (1898-1972) uma vasta obra gráfica, constituída por mais de  448 litografias e xilogravuras, 2000 desenhos e esboços, ilustrações para livros, desenhos para tapeçarias, murais, selos postais e ilustrações para livros. Particularmente famoso pelos seus paradoxos gráficos, ou “construções impossíveis”, Escher nasceu em Leeuwarden, Holanda, tendo frequentado a Faculdade de Arquitetura e Artes Decorativas de Haarlem.

Para informações sobre a vida e obra de M. C. Escher consulte o sítio da Fundação de M.C. Escher: http://www.mcescher.com/ .

Anúncios